Rommel Werneck
"Então, não mais, nunca mais despertar!""
Textos

 

Nos sonhos, eu chorei cristais de sal, 
A neve grossa sobre o quente rosto

E os lábios secos, tudo tão letal,

Provaram sim do pranto amargo gosto.

         Castelos descem torres antes fortes,

         A vila em chamas clama por socorro...

         Que rio rubro, quantas muitas mortes!

         Ao vale azul ao choro aos gritos corro!

Um grácil lorde acena o seu sorriso,

Seduz ao baile, dança afora voa,

Estou perdido, ajuda a mais preciso

De algum milagre ou gente ao menos boa.

                 Que estranho sonho! Não chegou ao fim!

                 Parece até assaz real a mim.

 

2018

Rommel Werneck
Enviado por Rommel Werneck em 01/01/2022
Alterado em 01/01/2022
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras