Rommel Werneck
"Então, não mais, nunca mais despertar!""
Textos
DICAS PARA NOVOS POETAS EM SONETOS E POESIA RETRÔ DE MODO GERAL.

O movimento fundado por mim e pelo Gabriel Rübinger em 2009 cresceu tanto que já é possível encontrar hoje pessoas dizendo que escrevem poesia estilo retrô. Julguei necessário escrever estas humildes e breves dicas já que todo santo dia surgem novas pessoas me pedindo conselhos acerca de sonetos e demais poemas.

1- Cuidado com repetição de palavras em textos diferentes.

Não repita muitas palavras no seu novo poema nem na parte interna ou externa (rimas). Sabemos que o estilo de um escritor é cristalizado justamente por sua repetição em certas palavras, por isso ter preferência por alguns termos e usá-los é até louvável. No entanto,  o excesso de tais vocábulos pode demonstrar fraqueza, falta de confiança, falta de domínio do léxico e, acima de tudo, falta de criatividade além de tornar o autor previsível e desfavorecer a leitura pelo tédio.

E como medimos este excesso?  Tente sempre introduzir um termo, um adjetivo, um verbo ou uma rima que nunca tenha sido usado antes. Busque substituir as primeiras palavras que lhe vêm a mente. Todos nós temos vícios em alguns adjetivos, alguns verbos etc, não é tarefa fácil.

2- Não force as rimas.

Rima pobre não é rima miserável. Preferível uma rima pobre, porém bem regida e natural do que rimas preciosas mas não graciosas. A rima rica surge de um árduo trabalho de pesquisa e investigação. Quem deseja rimar palavras de classses gramaticais diferentes deve dominar conjugação verbal pois a maioria das rimas ricas abrange verbos.  Geralmente eu até escrevo muitos poemas a partir do desafio de usar uma rima diferente, como uma inspiração sobre a transpiração e vice-versa.

3- Cuidado com a palavra FLOR.

E outras muito convencionais já clichês. Flor é um hiperônimo e pode ser substituída por orquídea, margarida, dália, jasmim, girassol. Só a pluralidade de nomes já mostra sílabas, tônicas e rimas diferentes. O mesmo serve para as cores. Vermelho pode ser rubro, grená, rubi, carmim, cor de sangue etc

4- Escreva várias FORMAS FIXAS.

O bom escritor não escreve somente sonetos, mas sim rondéis, terza rimas, indrisos, trovas, sextinas etc  Certos poemas não nasceram para se tornar sonetos, certos sentimentos possuem seu próprio ritmo.

5- Explore VÁRIAS MÉTRICAS  e DOMINE A ESCANSÃO.

Do mesmo modo, convém treinar algo além do normal. O mundo não pode ser dividido em decassílabos e alexandrinos. Você pode explorar os dodecassílabos e hendecassílabos, por exemplo, além de versos em forma de pés e não metros. Escandir não é fácil, envolve estudar, estudar e estudar; revisar, revisar e revisar...

6- Arcaísmos em consonância

Para que seu texto pareça realmente saído do século XIX é necessário que várias palavras e construções sintáticas estejam mais formais e dramáticas e precisam estar em concordância.  Seu texto não pode parecer um vício de linguagem chamado preciosismo.

7 - Explorar a segunda pessoa do plural.

O uso de vós fica interessante em textos imitando a Renascença ou o Late Medieval, poucos se lembram disto.

8- Use FIGURAS DE ESTILO

Na minha humilde opinião, uma literatura sem figuras de estilo é uma literatura analfabeta. Uma poesia retrô sempre terá uma hipérbole e/ou uma sinestesia

9- ORDEM INDIRETA importa

A poesia deve nos elevar a alma e enobrecer os sentimentos, isso significa que a ordem indireta é mais adequada que a direta.  Priorize a ordem indireta em várias estrofes.  A frase "deitaria à tarde numa cama com flores com a menina"  pode ser revisada e virar  "Com a donzela no leito das orquídeas ao crepúsculo deslizaria". Observe que já estou aplicando a primeira dica. Temas eróticos e sacros costumam sofrer filtro ou rejeição. O primeiro tipo por conta do público e o segundo pelo proselitismo. A ordem indireta e o bom gosto salvam-nos da pornografia e da pregação chata.  

10- Mais cor na Poesia Gótica

Do mesmo modo como é mais interessante mesclar o roxo com o preto na forma de se vestir ao invés de usar só preto, os textos podem ter muitas cores favorecendo as sombras. Explore o degradé.


11-  Cuidado com envolvimento com temas pessoais.

É magnífico para a Literatura quando um sentimento pouco explorado aparece em poesia e prosa. Acontece que, às vezes, de tão passionais que somos, não sabemos explorar os elementos e fica muito difícil. E, talvez por esta razão, seja melhor esperar um tempo ou tentar uma forma não-fixa como quadras, uma série de tercetos,  quintetos etc para poder desdobrar o máximo possível do sentimento.

12- DEIXE ASSAR NO FORNO

Serve para o tópico anterior.  Alguns poemas muito sofisticados demoram meses, anos para ficarem prontos. O teto da Capela Sistina não foi feito no microondas. Você precisa ter paciência, guardar os registros, lembrar de voltar neles. Nunca me perdoarei por ter perdido os rascunhos de tanta coisa...

13- Não fique rastejando, voe!

Nós, que possuímos um estilo  bem diferente e underground, em tempos de ditadura do minimalismo, muitas vezes nos rastejamos para sermos publicados em antologias, concursos etc. Tente ocupar espaços, mas rastejar? Nunca....

Acho que eram estes os vonselhos que desde dezembro vinha rascunhando...
Rommel Werneck
Enviado por Rommel Werneck em 01/02/2022
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras